Bizarro, imoral e doentio

12/10/2021

Uma breve apresentação

(por Paulo Henrique | enviado para o Diário do Brasil | Publicação autorizada)

Tenho 32 anos, sou gay. Me casei com outro homem. Ponto final. Não preciso detalhar mais nada sobre minha vida íntima.

Quer saber mais sobre mim? Ok.

Profissionalmente sou arquiteto, adoro esportes radicais, sou católico, odeio política, torço para o Palmeiras, gosto de pilotar motos, tenho medo de avião, adoro comédias stand-up (as americanas ou inglesas), falo 3 idiomas, não gosto de baladas, enfim … é assim que eu gosto de ser conhecido … pelo meu trabalho, por minhas crenças, por meus gostos, etc … minha opção sexual diz respeito somente a mim e meu parceiro (ahh … e entre 4 paredes).

Não saímos por aí nos esfregando e praticando atos imorais em público. Ser gay é uma coisa … querer ‘engayzar’ o mundo é outra totalmente diferente.

Eu e meu parceiro sabemos que somos minoria nesse mundo e talvez seja esse o ‘segredo’ de sermos felizes. Deve ser muito ruim ser ‘mais do mesmo’.

Não andamos por aí ou usamos as redes sociais para nos vitimizar e/ ou forçar que as pessoas nos aceitem. Somos felizes assim.

Frequentamos restaurantes, shoppings, estádios de futebol, clubes e outros lugares como dois bons amigos.

Não temos o costume de ficar nos agarrando, dando beijos cinematográficos ou sentando no colo um do outro. Esse tipo de comportamento é algo privativo nosso e acontece entre 4 paredes.

Na minha humilde opinião. Repito. Na minha humilde opinião, não podemos confundir opção sexual (que costumo chamar de opção de vida) com depravação sexual.

Quem gosta de aparecer, é porque já caiu no próprio esquecimento.

Somos um casal normal. Quem nos conhece, sabe que somos gays. Quem não nos conhece, não precisa saber.

Não provocamos e não somos provocados. Respeitamos e somos respeitados.

Odeio quando alguém se diz ‘representante’ da classe. Que classe? Da minha vida cuido eu. O seguro morreu de velho.

Não admito que falem em meu nome ou defendam conceitos bizarros em ‘nome da classe’.

Bem, depois de falar um pouco (rsrs … ou um ‘muito’) sobre a minha pessoa, quero abordar um assunto que me deixou revoltado, indignado, assustado, embasbacado e furioso: O NOVO SUPER-HOMEM BI.

Bizarro e imoral

Querem transformar meu herói de infância em herói gay ou bissexual … nem consegui ler a matéria inteira devido à raiva que fiquei. Fechei a página na hora!

Super-heróis não têm sexo. Eles salvam o mundo das pessoas más, como Mark Zuckerberg, Bill Gates [Jeffrey Epstein], George Soros, Lula, Dilma, Renan Calheiros, etc …

Me desculpem. Prometi a mim mesmo que não falaria de política, mas não me contive. Saiu sem querer. (rsrs)

Pessoas depravadas que escondem seus desejos doentios sob o manto de ‘diversidade’ querem estragar um super-herói infantil.

Sim … pessoas que acham que falam em nome de todos. Pessoas essas bancadas por bilionários [também doentios] que costumam ter amizades com pedófilos.

Pra mim, não há outra definição. Quando se envolve crianças e sexo, o nome disso é incentivo à pedofilia.

Pense bem …

O Super-Homem é herói um imaginário dos guris [e das gurias também]. Ele é muito forte, salva as criancinhas dos perigos, ajuda os velhinhos a atravessarem a rua, voa em direção dos que clamam por socorro, impede que cachorrinhos sejam atropelados e blá blá blá. Toda criança quer ser o Super-Homem ou algum outro super-herói.

Então, por que raios querem colocar sexo dentro de um cenário infantil? Uma criança não quer saber se o Super-Homem transa com A, B ou C.

Ela quer que seu herói salve o mundo.

Tal ideia, que chega a ser maquiavélica, só pode vir de uma mente doentia. Uma mente fascinada por sexo e crianças. Não consigo imaginar outra coisa.

Deixem nossas crianças serem crianças. Deixem nossos pequenos em paz.

Os guris e as gurias são seres sagrados!

Se, no futuro, essa criança decidir ter uma ‘vida íntima alternativa’, que faça por livre e espontânea escolha e não por imposição, lavagem cerebral e linguagem subliminar.

Em Eclesiastes 3:1, a bíblia diz o seguinte:

“Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.”

Ahh … algumas curiosidades que tenho:

Será que o tal autor vai fazer o Super-Homem voar de ‘marcha-ré’ ?

A kryptonita continuará tirando as energias do Super-Homem? Ou mostrarão uma calcinha para enfraquecê-lo.

E se alguém chamar por socorro quando o Super-Homem estiver transando? Ele irá [socorrer a pessoa] ou continuará fazendo ‘amor’ ?

Quando ele estiver salvando alguém do perigo, qual o fundo musical que irão tocar? Pabllo Vittar ? [como todo respeito, mas ele é péssimo como cantor]

Volto a repetir:

Somente uma mente podre é capaz de escrever tal absurdo. Gente que não nasceu de um útero. Gente que foi ‘defecada’ no mundo. Gente que merece acompanhamento psiquiátrico e internação imediata.

Enfim, essa é minha opinião pessoal.

Se eu aceito teses contrárias?

A RESPOSTA É NÃO!

A INFÂNCIA É SAGRADA E OS DANOS SÃO IRREVERSÍVEIS!

E ‘eles’ sabem disso!

 

 

 

0 0 votes
Article Rating

Deixe um comentário

1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ailton Cardoso

Foi um passeio pelo bizarro, o amoral doentio e encalhou na perversão política quando avaliou lula, bill gates e outros aleijados mental e moral, como buscadores e salvadores da humanidade !!