Coágulos pós-vacina causam morte de mulher e twitter marca obituário como ‘desinformação’

06/10/2021

(Seattle/EUA)

Familiares de Jessica Berg Wilson, 37 anos, dizem que ela era uma pessoa única, uma “bela alma” cujas paixões eram a maternidade e ser voluntária em sua escola comunitária.

Com a regra do ‘fique em casa’, aos poucos Jessica sentiu que sua liberdade de escolha estava sendo retirada pelos mandatos do COVID-19, disseram os familiares.

“Ela sentia interiormente que não tinha mais escolha [se referindo à vacina]”, disse o marido Tom Wilson.

Quando ela finalmente concordou em receber uma vacina para que pudesse continuar seu trabalho voluntário, a decisão lhe custou a vida.

“Ela se opôs veementemente a tomar a vacina sabendo que estava com boa saúde e era jovem, portanto, ela achava que não corria risco de contrair doenças graves. Em sua mente, os riscos conhecidos e desconhecidos das vacinas [ainda não comprovados] eram uma ameaça a mais”, diz o obituário de Jéssica.

No dia 7 de setembro, Jessica morreu de trombocitopenia trombótica induzida pela vacina COVID-19, disse seu marido ao jornal The Epoch Times.

O confirmou o diagnóstico, disse Tom Wilson.

“Ela morreu como resultado direto de uma vacina experimental – uma vacina que se opôs sistematicamente a tomar. Ela se sentiu coagida. Se sentiu privada de sua capacidade de escolha. Sua capacidade de dizer ‘não’ a ​​um procedimento médico que ela não queria”, disse Ivancie, tio de Jéssica;

Ivancie disse que suas postagens no Twitter sobre a morte de Jessica estão sendo censuradas e rotuladas como desinformação, “fazendo-nos sofrer uma segunda morte”.

“Jessica abraçou totalmente a maternidade, compartilhando sua paixão pela vida com suas filhas. A maior paixão dela era ser a melhor mãe possível para Bridget e Clara. Nada a impediria de estar presente em suas vidas.”

A decisão de Jessica em ser vacinada não foi fácil, disse Tom:

“Não somos contra as pessoas que tomam vacinas. Não estamos dizendo às pessoas para não tomarem a vacina. Não há política aqui. ”

Tom disse que recebeu uma vacina COVID-19 porque seu trabalho exige que ele viaje, mas Jessica “estava prestes a ser excluída” do serviço voluntário, disse ele.

“Como marido, estou realmente enojado com as postagens da mídia social” que sinalizam o obituário online de Jessica como desinformação, disse Tom.

“Para a família Wilson, o mundo perdeu uma“ pessoa insubstituível ”, disse ele.


O fabricante da vacina (J&J) relata que casos como o de Jéssica são raros e que a chance de morrer de Covid é 40 vezes maior.

Para eles, uma mãe de família é apenas um ‘caso raro’ … um mero número.


 

0 0 votes
Article Rating

Deixe um comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments