E continua a obsessão compulsiva da jornalista do Estadão por Jair Bolsonaro

Patrícia Moraes Carvalho | 18/03/2020 | 1:45 PM | DESTAQUES DB
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Essa senhora, das duas uma … ou está ganhando um incentivo ($$$) brutal da oposição ou decidiu incorporar o espírito de ódio de Jean Wyllys contra o presidente Bolsonaro.

Há pouco, em sua coluna no jornal Estadão, Vera Magalhães), desceu o cacete no presidente.

Isso já virou psicopatia, delírio, transtorno, etc … vídeos, palavras, frases … tudo jogado ao léu … não há nada que essa senhora diga ou escreva que faça algum sentido racional.

Numa matéria com o título Nós que lutemos, a verborragia se esparramou em mais de 200 linhas que não dizem absolutamente nada.

Mas … vamos resumir rapidinho …

Primeiro, ela sugere que o encontro entre Trump e Bolsonaro foi uma zona de risco para a disseminação do coronavírus … depois ela inventa uma suposta briga entre Bolsonaro e Moro … logo após, surge uma briga entre Bolsonaro e o Congresso … aí vem a estória de que Bolsonaro convocou manifestações … a história do humorista que deu banana pra imprensa … e o fato de Bolsonaro ter denunciado fraude nas urnas eletrônicas.

São todos crimes gravíssimos, não é Vera?

Veja que essa senhora, a qual Bolsonaro mandou ‘procurar serviço’, não consegue sequer organizar ideias … ela simplesmente junta um monte de ??? , cria uma ficção e encaixa o nome do presidente num parágrafo sem contexto.

Agora vem a parte boa … ela gasta uma linda palavra de seu vocabulário …

Despiciendo [desprezível], neste momento, especular por que ele faz o que faz.” 

“What the fk? What’s going on? Alguém entendeu essa frase acima?

E agora a conspiração:

“Cortina de fumaça para desviar a atenção de outros assuntos? Preparação de algum plano de supressão da democracia tendo cavaleiros templários como exército, mais à frente?”

Entendendo essa enxurrada de vômitos acima: ela questiona se Bolsonaro dará um golpe de estado.

Agora ela toca o terror na população:

“Não é de se estranhar que comece a faltar mantimentos, álcool em gel seja vendido a peso de ouro e as fake news sejam propagadas em velocidade maior que o vírus …”

Na frase abaixo, ela [que provavelmente deve ser formada em medicina ou patologia] contesta os exames laboratoriais do presidente e insiste que ele está infectado com o covonavírus, mesmo depois de ele ter testado negativo em dois exames:

“O presidente falou que tudo era fantasia da mídia, poucos dias antes de ter de passar por (dois? três? quantos? Não se sabe, pois não há informação oficial confiável) testes para detectar se foi infectado.”

Eu Patrícia, pra falar a verdade, nem sei porque escrevi esse monte de coisas acima … bastava colocar uma dúzia de emojis para representar o festival de asneiras da Vera … e ela ainda se diz jornalista.

????????????


 

compartilhe esse post:
Follow by Email
Facebook
Google+
Twitter
Instagram
Whatsapp
Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.