E se … Trump fez uma “cama de gato” para os Democratas, ciente de que haveria fraudes?

É muito reducionismo pensar na eleição americana como sendo somente Biden x Trump

(texto de Felipe Fiamenghi)

Na verdade, os personagens pouco importam: poderia ser Patati x Patatá, Fred x Jason, King Kong x Godzilla.

Os desdobramentos significam muito mais do que o eleito. E esse pleito, por qualquer aspecto que se olhe, definitivamente, significou muito.

Qualquer pessoa com uma inteligência mediana pode imaginar que algo tão sério quanto uma eleição não pode ser feita por correspondência.

Neste caso, em específico, não estamos falando da escolha do síndico da Vila Sésamo, mas do presidente da principal potência do mundo livre.

O homem que, nos próximos 4 anos, ficará à frente da maior economia, comandará o exército mais poderoso e terá os códigos de acesso do maior arsenal nuclear deste planetinha azul.

Como, então, essa eleição foi feita PELOS CORREIOS?

É algo surreal. Cédulas duplicadas, eleitores mortos, extravios de votos e todo o resto que foi divulgado pela própria imprensa americana, denunciado inclusive por eleitores Democratas inconformados com o descaramento nas fraudes.

Só existem duas opções

  1. Trump fez uma “cama de gato” para os Democratas, ciente de que haveria fraudes, e estes caíram como patos … o que não deixaria qualquer dúvida é que a equipe do ‘atual eleito’ é composta por completos imbecis.
  2. Simplesmente o homem mais poderoso do mundo foi obrigado a aceitar a imposição do establishment, provando que o sistema é ainda mais poderoso do que ele.

Se a segunda opção for verdadeira, então não há esperança.

E não digo que não há esperança porque Biden foi eleito, mas porque isso significa que a democracia fracassou e tudo não passa de uma farsa.

Neste caso, todas as “patetices” dos Democratas, que parecem ter saído de um filme de comédia clichê, seriam apenas a certeza da impunidade.

Considerando que tudo tenha sido apenas uma “isca” para o “Big Guy” (como Joe era chamado nos e-mails encontrados no computador do seu filho) e que até a eleição “oficial”, no dia 14 de Dezembro, quando os delegados de fato elegem o presidente, os Democratas realmente sejam pegos na fraude, ainda temos que pensar que MILHÕES de americanos REALMENTE votaram em Biden.

Não estou falando que Trump é um anjo. Longe disso. O que não faltam são escândalos na carreira do bilionário.

Mas perto apenas do que foi divulgado sobre Biden e seu “clã”, Trump é um coroinha.

As denúncias são tão graves que o próprio Glenn Greenwald, ativista declarado da esquerda, que já esteve envolvido até na quebra ilegal do sigilo telefônico de um Ministro de Estado, disse que ocultá-las seria um atentado contra a democracia.

Uma nação que sempre se orgulhou de ter se alicerçado sobre os 3 “Gs”: God, Guns and Guts, está se afastando cada vez mais de seus pilares.

O desarmamento é uma das principais agendas dos Democratas, que abominam a 2ª Emenda.

O orgulho patriótico inexiste para quem vota em um homem que, sabidamente, está no bolso de Xi Jinping.

E Deus… Até eu, que passo longe de ser um fundamentalista, acho que Deus não aprovaria a conduta da família Biden.

Pra ser sincero, pelo pouco que tive estômago para ver do material vazado, acredito que até o capeta teria enjoo.

Enfim, para nós, resta a lição: O “Deep State” não dorme. Quem acha que a esquerda está morta, pense novamente.

Ela muda a forma, a cor, o discurso, o método, mas continua viva. Muito mais viva do que imaginamos.

Se lá, onde sempre as liberdades individuais sempre foram levadas muito mais a sério do que aqui, estamos vendo uma situação dessas, criada por pânico, ideologização e doutrinação midiática, imaginem o que pode acontecer no Brasil, onde historicamente adoramos uma intervenção e assistencialismo Estatal …

(texto de Felipe Fiamenghi)

“O preço da liberdade é a eterna vigilância.”
(JEFFERSON, Thomas)

 

publicidade


PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com