“Em 21 anos de regime militar, tivemos 500 mortos … 400 eram da esquerda armada”

Amanda Nunes Brückner | 11/05/2018 | 8:48 AM | BRASIL
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.


Vivenciamos o caos político e econômico, agravado por um descalabro moral e ético jamais visto

REVOLUÇÃO REDENTORA!

Mais do que nunca, vivemos a necessidade de repensar o Brasil, de voltar os nossos olhos para “31 de Março de 1964”, um fato histórico que não pode ser apagado da história da Pátria, muito menos da memória dos que o protagonizaram ou o herdaram.

O povo brasileiro, deixado à mercê de sua vontade, mas, “deseducado e iludido, elegeu uma classe política absurdamente corrupta, irresponsável e despreparada”. (Gen Rocha Paiva).

Essa atitude, consequência da desilusão que contamina todos os níveis da sociedade, atesta, em regime de sofrimento, o quanto devemos aos heróis de 1964 que, abraçados aos interesses da Pátria, em meio às ameaças da Guerra Fria, souberam interpretar a vontade nacional, identificar o perigo e tomar a iniciativa para neutralizá-lo.

É nesse contexto que devemos rememorar e enaltecer a Revolução Democrática de 31 de Março de 1964 – desfecho de um movimento civil-militar que mobilizou toda nação sem dar condição de reação a um governo que perdera a autoridade moral, o respeito do povo e o apoio do Congresso Nacional.

O Brasil, ao cortar o mal na raiz, escapou do destino infeliz que lhe desejavam os mesmos que hoje ainda ocupam o poder pela via da mentira e da exploração das próprias vulnerabilidade da democracia.

Em 21 anos de regime militar, tivemos a lamentar cerca de 500 mortos em confrontos nas áreas urbanas e rurais, sendo 400 militantes da esquerda armada.

Um alto custo para poucos, mas muito baixo se comparado ao da impunidade e da criminalidade que hoje nos intimida.

É hipocrisia a condenação dos governos militares por excessos no combate ao terrorismo, feita por quem idolatra ditaduras e lideranças criminosas; concede asilo a terroristas estrangeiros condenados, mas devolve fugitivos da ditadura cubana; financia e confraterniza com ditos movimentos sociais, cujas ações resultam, impunemente, em invasões, destruições e mortes.

Os Generais Presidentes reconheciam a excepcionalidade do regime e manifestavam permanentemente a vontade de promover o retorno à normalidade.

O Brasil tornou-se uma democracia, aspiração dos governos militares e da sociedade. BASTA de impunidade e de leniência com os crimes da corrupção endêmica que, pela força da demagogia e da mentira, assaltou os poderes da República!

Os Marinheiros, Soldados e Aviadores, cidadãos fardados nunca apartados da sociedade a que servem e em nome da qual impunham suas armas, não estão alheios à conjuntura hostil ou descuidados do cumprimento do seu dever.

Têm a motiva-los o exemplo histórico da Revolução Democrática de 1964 que não pode ser, nem nunca será, apagado da memória dos que amam com fé e orgulho este solo sagrado das Terras de Vera Cruz!

BRASIL, ACIMA DE TUDO!!


Gen Bda Paulo Chagas


Lista com 117 nomes de pessoas assassinadas pela esquerda armada brasileira


 

compartilhe esse post:
Follow by Email
Facebook
Google+
Twitter
Instagram
Whatsapp
Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.