Em carta, Adélio diz que vai matar Bolsonaro e Temer quando sair da cadeia

31/05/2019

Na última segunda-feira (27), o juiz federal Bruno Savino, da 3ª vara da Justiça Federal de Juiz de Fora, concluiu que Adélio Bispo de Oliveira, o homicida que tentou matar o presidente da República, não poderá ser punido criminalmente.

De acordo com o juiz, Adélio tem Transtorno Delirante Persistente, conforme indicado em pareceres médicos (da defesa e da acusação), fato que o torna inimputável.

O criminoso será transferido do presídio federal de Campo Grande (Mato Grosso do Sul) para um manicômio judicial.

O laudo

Adélio disse aos médicos que, quando sair da cadeia, vai matar Jair Bolsonaro e o ex-presidente Michel Temer, que “também participaria de uma conspiração maçônica”.

A Justiça enviou cópias do documento para os Serviços de Inteligência do Planalto.

Em uma carta enviada a seus advogados, o criminoso pediu para ser transferido e declarou que a cadeia está impregnada de “energia satânica”


.