Google resolveu “tirar uma” com a cara do brasileiro, diz juíza

19/09/2021

(por Ludmila Lins Grilo, Juíza de Direito da Vara Criminal e da Infância e da Juventude)

A lacração do dia é a homenagem a Paulo Freire, o “patrono da educação brasileira”, pelos 100 anos de seu nascimento.

Por muitos anos, o pedagogo foi aplaudido pela classe intelectual, sem que ninguém ousasse questionar sua autoridade. Era uma espécie de entidade sacrossanta, em que ninguém encostava.

Há uns anos, felizmente, isso começou a mudar.

Vozes se levantaram para mostrar que a “pedagogia do oprimido” de Paulo Freire era, na verdade, a TRANSPOSIÇÃO DA LUTA DE CLASSES MARXISTA PARA O ÂMBITO DA EDUCAÇÃO.

Começou a ficar claro que seus métodos educacionais envolviam gatilhos que despertavam uma consciência POLÍTICA de ESQUERDA no aluno.

O processo de alfabetização foi POLITIZADO, martelando-se certas expressões e palavras-chave na cabeça da criança, tais como “capitalismo opressor”, “proletariado”, “latifúndio”, “imperialismo estadunidense”, de forma a incutir SENTIMENTOS POLÍTICOS, e não o conhecimento propriamente dito.

A “pedagogia do oprimido” quebra o princípio de hierarquia que há entre professores e alunos, trazendo a ideia degenerada de que “ninguém educa ninguém, ninguém educa a si mesmo, os homens se educam entre si, mediatizados pelo mundo”.

Com a ideia de que ninguém educa ninguém, a figura de autoridade do professor é imediatamente quebrada, levando o aluno a perder sua base, sua referência, passando a flutuar no mundo intelectual – sabendo-se lá onde vai parar.

Vem de Paulo Freire também a ideia de que “ensinar não é transferir conhecimento”, ou seja, ele privilegia a emoção política em detrimento do conteúdo.

É dele também a frase “não há saber mais ou saber menos: há saberes diferentes”. Aqui, temos o RELATIVISMO cultural aplicado à educação, como se todo tipo de conteúdo torpe tivesse o mesmo valor.

Não é por outro motivo que o Brasil permanece, há anos, nas últimas posições no ranking mundial de educação.

Esse é o resultado do ensino utilizado como instrumento da revolução. Viva Paulo Freire!


Só agora as pessoas estão despertando para a GUERRA CULTURAL em que estão metidas DESDE O BERÇO. Saiba mais clicando no link:

https://ludmilagrilo.com.br/inscricoes-abertas-b/

0 0 votes
Article Rating

Deixe um comentário

3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Mário Antônio Pantoja Trindade

Ainda bem que despertaram antes tarde do que nunca!!!

Tadeu Tallon

Viva Paulo Freire! Viva a deseducação! E pobres dos PROFESSORES!!!

JOSÉ CARLOS SAMPAIO

ESSE É SEM DÚVIDA UM PSEUDO “INTELECTUAL” MEDIUCRE SÓ ATRASOU O BRASIL COM SUA IMBECILIDADE (ENDEUSADO PELA ESQUERDA IDIOTA)