Internauta usa ‘linguagem específica’ para ensinar política para esquerdistas: “O beabá do alkingéu”


Bolsonaro se esqueceu que está lidando com gente burra, muito burra …

Gente que precisa de “alkingéu” para lavar as mãos … gente incapaz de interpretar texto, gente emburrecida nos longos anos do desgoverno do PT e por intensa programação imbecilizante da Rede Globo.

Gente que desconhece as leis e seus próprios direitos (nem vou mencionar deveres).

Gente facilmente manipulável.

A MP da suspensão do contrato de trabalho é boa, protege o emprego e preserva a empresa durante este período difícil da pandemia do Coronavírus.

Bolsonaro errou na comunicação e na falta de didática.

Achou que o povão seria um pouco mais inteligente: enganou-se!

Uma medida que trata de algo tão sensível ao brasileiro como salário, não poderia ser objeto de uma MP editada na calada da noite.

Teria que ser anunciada em rede nacional de rádio e televisão, em horário nobre, e explicada como se explica algo para uma criança de 4 anos de idade. 

O ministério da Economia deveria ter convocado uma coletiva de imprensa para responder (à exaustão) TODAS as perguntas da imprensa.Todas.

Bolsonaro não poderia ter dado margem para a esquerda cretina criar um espantalho dizendo: “o governo vai cortar seu salário por 4 meses”

O presidente apanhou da esquerda e teve que recuar e repensar a estratégia.

Meus queridos esquerdistas … a suspensão do contrato de trabalho já existe na CLT desde 1965 e vocês sabem disso.

Podem ir lá ver, eu espero (é o artigo 476). Isso é conhecido como LAY-OFF (termo técnico em inglês que significa: ‘Lula ladrão, seu lugar é na prisão’ e não foi criado pela MP 927/2020 do ‘Bozo’.

O que o ‘Bozo’ fez foi acrescentar a possibilidade de se utilizar a opção de suspensão do contrato de trabalho em conexão com a crise da pandemia do Coronavírus para manter o trabalhador empregado.

De novo, esquerdistas, a CLT prevê que durante a suspensão do contrato de trabalho, o salário do trabalhador é pago pelo FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador) até o limite do valor do seguro desemprego.

Pode voltar lá na CLT e conferir, eu espero. Viu? Então! Se por acaso o “salário” ficar menor, o empregador pode complementar para que o trabalhador não fique no prejuízo.

E detalhe: o trabalhador não sofre desconto no Imposto de Renda destes recebimentos.

É importante frisar que a suspensão do contrato de trabalho só pode ser utilizada se o trabalhador assinar o documento concordando com a ação … ele não é obrigado a nada … não é uma medida automática.

O trabalhador terá a opção de não assinar e ficar desempregado quando a empresa, proibida de abrir as portas, quebrar durante a crise do Coronavírus.

Se a empresa decretar falência, vai demorar uma eternidade para o trabalhador ver a cor do dinheiro dos salários atrasados e da rescisão.

E sem rescisão significa sem seguro desemprego e sem FGTS.

Vai tentar a sorte, irmão?

Mais alguma dúvida? Posso voltar a lamber e a passar pano no ‘Bozo’ … meu político de estimação?

Obrigado!


(Jordan Bernardes – via redes sociais)

publicidade


PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com