Jornalista sugere opções para colocar Moraes numa ‘sinuca de bico’: “Tudo dentro da lei. Sem FFAA, sem AI-5, sem milico”


Eduardo Matos de Alencar, jornalista, escritor e sociólogo, publicou uma série de estratégias legais que poderão ‘encurralar’ o ministro Moraes.

Durante a madrugada de hoje (27), o jornalista usou o Twitter e fez uma thread (sequência de postagens) que apontam uma possível saída para o enfrentamento das arbitrariedades cometidas pelo digníssimo togado.

De acordo com Alencar, “é o da eficácia legal” e a “luta por direitos, nas instâncias competentes”.

“O STF, o Alexandre, a PGR, precisam se deparar com uma situação politicamente insustentável”, sustenta o jornalista.

Veja abaixo a íntegra da thread:

“É pra não dormir mesmo. Avaliação de conjuntura e possibilidades de ação. Para todo mundo, intelectuais, jornalistas, yoturbers, vaporwave, deputados etc. Eu não quero coordenar nada, nem tenho poder pra isso. Porém, tenho umas ideias boas aqui.”

“Todo mundo errou de esperar que o PR pudesse fazer algo. Artigo 142, para quê? Prender o Alexandre, como fazer isso? É tudo operacionalmente complicado demais. Politicamente inviável. Quiçá indesejável mesmo. Porém, não importa se o PR não pode se mover. Nós somos aleijados?”

“O Alexandre de Moraes tem poder. Tem. E daí? Foda-se. Ele não tem todo poder do mundo. Tem limites evidentes. Nós podemos ter mais poder que ele, se atuarmos corretamente.”

E qual é o caminho correto. O da eficácia legal. Lawfare, luta por direitos, nas instâncias competentes.

“O STF, o Alexandre, a PGR, precisam se deparar com uma situação politicamente insustentável. E quem vai gerar isso? O sistema de justiça nacional e internacional. Porém, só vai acontecer se fizermos do jeito certo. Se atuarmos de forma pública, 100% aberta, transparente.”

“Para todo mundo ver. Na cara de pau mesmo. Eu quero que o Alexandre leia isso. Entenderam? O símbolo agora é Martin Luther King.
Todo mundo tem que brigar pelos seus direitos de liberdade de expressão, de existência. Não tem outro caminho. Trabalho de base? Importante.”

“Porém, você não vai poder fazer trabalho de base se for condenado ou pegar fama de bandido. Eleição de sindicato? Vão chamar a polícia. O que temos de fazer agora então? Derrotar esses ‘#$%’. Dá para fazer isso? Dá, brigando do jeito que a sociedade civil sabe fazer.”

O passo a passo:

1) Campanha nacional pela liberdade de expressão;
2) 100 mil petições na Corte Interamericana de Direitos Humanos contra os abusos do togado;
3) Queixa contra o Alexandre de Moraes por improbidade administrativa nos estados onde houve operação;
4) Denúncia no STF de abuso de autoridade contra todos os envolvidos nas operações – Moraes, o vice-PGR, os policiais;
5) As mesmas ações por via parlamentar – pressão pra que deputados e senadores o façam;
6) Defesa absoluta da legalidade – sem FFAA, sem AI-5, sem milico.
7) Denúncia e pressão em todos os órgãos e meios de comunicação disponíveis, nacionais e internacionais.

É o nosso direito de existir que está em jogo. Vamos pra cima deles e dessa vez sem TIC-TAC.


 

 


 

publicidade


PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com