Ministro determina que generais deponham ‘debaixo de vara’

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.


Imagine só a seguinte cena:

“A POLÍCIA FEDERAL, A MANDO DE UM MINISTRO DO STF, CHEGA NO PALÁCIO DO PLANALTO E CONDUZ [À FORÇA] TRÊS GENERAIS DO EXÉRCITO PARA DEPOR”

Pois bem … a cena narrada acima não está longe de acontecer.

O ministro Celso de Mello, que parece nutrir um “ódio insano” pelo presidente Bolsonaro, decidiu bater de frente com autoridades das Forças Armadas.

Em seu despacho, o Supremo Deus determinou a oitiva dos generais Augusto Heleno, Braga Neto e Luiz Eduardo Ramos no inquérito que investiga acusações feitas pelo ex-ministro Sérgio Moro contra o presidente Jair Bolsonaro.

Celso de Mello deu a seguinte ordem:

“Cumpre advertir que, se as testemunhas que dispõem da prerrogativa fundada no art. 221 do CPP, deixarem de comparecer, sem justa causa, na data por elas previamente ajustada com a autoridade policial federal, perderão tal prerrogativa e, redesignada nova data para seu comparecimento em até 05 (cinco) dias úteis, estarão sujeitas, como qualquer cidadão, não importando o grau hierárquico que ostentem no âmbito da República, à condução coercitiva ou “debaixo de vara”, como a ela se referia o art. 95 do Código do Processo Criminal do Império de 1832, na linha do que estabeleceu valioso precedente firmado pelo Plenário do Supremo Tribunal Federal.”

Trocando em miúdos, o ministro ameaçou conduzir os generais “debaixo de vara” para depor.


A resposta

General manda recado para Celso de Mello: “Tratar autoridades do Exército de forma leviana só demonstra o nível de Ministros que temos do STF”

compartilhe esse post:
Follow by Email
Facebook
Google+
Twitter
Instagram
Whatsapp
Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Caso queira nos ajudar diretamente, através do PayPal, clique no botão abaixo

facebook: fb.com/diariodobrasil
 
® 2014 Diário do Brasil
Back to Top