Ministro do STF praticamente reelegeu Bolsonaro. Valeu Celsão! Boa aposentadoria

Amanda Nunes Brückner | 24/05/2020 | 12:01 AM | BRASIL
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.


Com a clara intenção de prejudicar o governo do presidente Jair Bolsonaro, o ministro Celso de Mello (STF) decidiu liberar o vídeo da tal reunião ministerial e acabou dando um tiro no pé … ou melhor … um tiro no saco!

Através da divulgação do vídeo, pudemos perceber que BOLSONARO é o oposto de todos os ex-presidentes brasileiros que usavam uma MORDAÇA e não conseguiam abanar a cauda porque a mesma estava presa numa RATOEIRA.

BOLSONARO não possui papas na língua, fala o que quer e quando quer para qualquer pessoa do meio político (ou não) com muito populismo e autenticidade.

Se eu fosse marqueteiro da campanha do Jair em 2022, eu EXIGIRIA que esse vídeo fosse utilizado em todos os programas da campanha para TV.

Nunca se viu um presidente defender tão francamente o povo … a reunião era secreta e ele poderia ter dito o que quisesse sem a menor preocupação de nos agradar.

Defender, de maneira tão apaixonante, a liberdade de uma sociedade é algo que nunca se viu neste país … sentado em sua cadeira, lá estava ele com todos os poderes na mão, defendendo tamanha soberania, autonomia e liberdade popular.

Repito: nunca se viu. Que presidente! Que coragem! Que estadista!

Abaixo um ‘resumo’ da fala do Presidente no tal do vídeo que derrubaria o governo:

– Defesa dos pobres com fome
– Defesa dos empresários
– Defesa da democracia
– Defesa das liberdades individuais
– Defesa da liberdade econômica
– Defesa da responsabilidade fiscal
– Ataque aos governadores irresponsáveis
– Ataque a privilegiados
– Falou em Deus
– Ataque à grande mídia
– Críticas coerentes ao STF
– Defesa do povo armado
– Defesa da democracia
– Um monte de palavrão

Está reeleito! Obrigado Celsão!



 

 

compartilhe esse post:
Follow by Email
Facebook
Google+
Twitter
Instagram
Whatsapp
Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.