“Nada do que é humano me é estranho”

Amanda Nunes Brückner | 25/04/2020 | 1:36 PM | MÍDIA
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Sobre Moro e ofensas nas redes sociais

Que o ser humano é passional e pretensioso, é algo que todos nós sabemos, por experiência própria e pela história em geral.

E mesmo que nos faltassem essas fontes, ainda teríamos o dramaturgo Terêncio: “Nada do que é humano me é estranho”.

Ocorre que muitos exageram, sendo passionais e pretensiosos num grau expressionista que os mergulham num mundo paralelo com contatos apenas esporádicos com a realidade.

Os isentões, mais do que os esquerdistas assumidos, são especialistas em paroxismos.

O caso do Moro é o exemplo mais recente.

Em sua imensa maioria, os conservadores estão criticando Moro não pela sua boa atuação em áreas como o combate ao tráfico e a formatação do pacote anticrime.

Os conservadores respeitam essas realizações.

A crítica se concentra no fato inegável de ele [Moro] se esgueirar pelos muros do planalto para dar uma coletiva surpresa e de ataque ao presidente que o acolheu.

É coisa de um Brutus contemporâneo que desconhece Shakespeare e entendeu mal Hans Kelsen.

Sem contar a insistência de Moro numa política desarmamentista; o desinteresse na solução do caso Adélio; o vídeo de apoio ao uso de força policial para cercear o direito sagrado de ir e vir; e a surrealidade final de procurar a Globo para exibir prints ridículos, os quais irritaram até os esquerdistas, que se frustraram com as insignificâncias das “provas contra o presidente”.

Moro se desonrou por essas atitudes e ações, e não pelas coisas boas que fez, as quais todos reconhecem e admiram até hoje.

E agora um ditado popular no lugar de Terêncio:

“Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa”.

Tudo isso é tão claro e óbvio.

Mas a clareza não é um atributo dos habitantes da Isentolândia, de modo que vários isentões – e muitos de certo renome – estão se descontrolando e ofendendo pesadamente os conservadores que enxergam Moro como ele vem se revelando, e não como gostaríamos que ele fosse.


(por Marco Frenette | redes sociais)

compartilhe esse post:
Follow by Email
Facebook
Google+
Twitter
Instagram
Whatsapp
Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.