O arrombador da República: “Ele quer explodir as finanças do Governo Federal”

No último dia 10, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que tem conversado com economistas e que não há consenso sobre um limite de endividamento interno para o Brasil.

“A única questão é cuidar para que o endividamento interno não inviabilize o futuro do país … agora, quanto a dívida interna pode crescer? 10%, 20% do PIB? Não tem esse limite”, declarou em entrevista à Rádio Bandeirantes.

Em outras palavras: vamos torrar tudo que temos direito e que se dane o futuro da nação!

Segundo Maia, outros países estão fazendo isso porque não bastam medidas de renda mínima para os mais vulneráveis e de garantia de empregos se as empresas não tiverem capital de giro para sobreviver ao período de pandemia da Covid-19. (…blá,blá,blá…)

O ministro da economia, Paulo Guedes, está convencido de que, articulando com governadores como Dória e Witzel, a intenção de Maia é explodir as finanças do Governo Federal e inviabilizar uma recuperação econômica do país.

Guedes chamou esta proposta de “farra eleitoral” disfarçada de combate ao Coronavírus e de “arrombamento geral da República”.

Assim como o presidente Jair Bolsonaro, o ministro acredita que Maia, ao colocar governadores contra Bolsonaro, quer dar um golpe no Governo Federal.


 

publicidade