O mais recente efeito colateral da COVID-19: ‘Síndrome Anal Inquieta’

01/10/2021

(New York Post)

Um relatório recém-publicado por médicos do Japão revelou uma condição misteriosa associada à Covid chamada de “síndrome anal inquieta”.

A definição é comparada à síndrome das pernas inquietas (SPI).

Aos 77 anos, um paciente ficou 21 dias internado para tratar da Covid.

Após receber alta do Hospital da Universidade de Medicina de Tóquio, o paciente pensou que estava totalmente recuperado do vírus, porém novos sintomas começaram a incomodá-lo.

Ele detalhou aos médicos que começou a sentir um “desconforto anal profundo” entre o ânus e os órgãos genitais, o que o levava à “necessidade essencial de evacuar” o intestino – fato que não lhe dava nenhum alívio, segundo o artigo, disponível para leitura via “ BMC Infectious Diseases.

Com o passar dos dias, o paciente observou que a atividade física parecia aliviar seu ânus estressado. Quando ele se deitava, o desconforto aumentava significativamente.

Uma colonoscopia mostrou que o homem tinha hemorróidas internas, mas isso não explicava seus espasmos, pois o sistema nervoso parecia estar funcionando bem.

Foi quando os médicos calcularam que sua condição estranha poderia ser neurológica, observando que os novos sintomas que se manifestaram eram semelhantes aos da SPI (Síndrome das pernas inquietas), que foi detectada em pelo menos dois outros pacientes com COVID-19 recuperados.

A conexão entre a doença e a SPI ainda não é compreendida, disse o autor do relatório, Dr. Itaru Nakamura.

O paciente de Nakamura pode ser o primeiro caso documentado de síndrome anal inquieta associada a COVID-19, escreveu o médico.

Diz-se que a síndrome das pernas inquietas ocorre em pelo menos 3 milhões de americanos e seus sintomas podem ocorrer em outras partes do corpo, como nos braços e até mesmo no rosto.

Alguns especialistas acreditam que a condição é amplamente subnotificada, já que a Restless Legs Syndrome Foundation estima que 7% a 8% nos Estados Unidos vivem com alguma forma de SPI.

Nakamura prescreveu ao homem um regime diário de sedativo (clonazepam) para ajudar a relaxar os músculos anais e ocorreu uma melhora significativa após 10 meses de tratamento, segundo o relatório.


(fonte: New York Post)

0 0 votes
Article Rating

Deixe um comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments