Partido Comunista usou cidadãos inocentes como ‘mulas’ para alastrar o vírus chinês para o mundo

Governo comunista da China sequer preocupou com seu próprio povo, que estava infectado

No dia 27 de janeiro, 81 pessoas morreram e 2.744 estavam infectadas em Wuhan (epicentro do coronavírus e maior cidade da província de Hubei).

O prefeito de Wuhan, Zhou Xianwang, admitiu ter escondido informações sobre o surto do vírus chinês e renunciou ao cargo.

Xianwang também confessou que pelo menos 5 milhões de pessoas, que deveriam estar isoladas na cidade, deixaram o local e viajaram para diversas localidades da China, Itália, Espanha e outros países.

O Departamento de Estado americano, através do Secretário Mike Pompeo, criticou a “campanha de desinformação” do regime comunista chinês sobre o novo coronavírus.

“O governo chinês sabia desse risco, o identificou, foi o primeiro a saber e desperdiçou dias valiosos no front, permitindo que centenas de pessoas deixassem Wuhan para irem a lugares como a Itália, que agora sofrem tanto”, afirmou.

“Eles tentaram suprimir essas informações, ao invés de tentar realmente fazer o trabalho para suprimir o vírus, que é o que o mundo exigia. O Partido Comunista Chinês não acertou e colocou inúmeras vidas em risco.”

Veja:


 

publicidade