“PCC prende mãe de virologista que acusou a China de criar vírus em laboratório” diz bilionário

A Dra. Li-Meng Yan, virologista chinesa MD / Ph.D. que fugiu da China e publicou provas de que o COVID-19 foi criado num laboratório chinês em Wuhan, declarou que o Partido Comunista Chinês prendeu a sua mãe.

No mês passado, Yan apareceu na Fox News, onde ela disse ao entrevistador Tucker Carlson que o COVID-19 é um vírus ′′ Frankenstein ′′ projetado para atingir humanos e que foi intencionalmente liberado.

Yan fugiu de Hong Kong no dia 28 de abril num voo da Cathay Pacific para os Estados Unidos.

Ela acredita que a sua vida corre perigo e que nunca mais poderá voltar para casa.

“Há provas deixadas no genoma … eles não querem que as pessoas saibam a verdade … estou sendo perseguida, fui suspensa até do Twitter … Sou um alvo que o Partido Comunista Chinês quer  fazer desaparecer” declarou.

Segundo o empresário bilionário chinês Miles Guo, que se tornou um ativista político, o PCC (Partido Comunista) prendeu a mãe da Dra. Limeng Yan na China continental, supostamente como uma espécie de retaliação às denúncias da virologista.



Leia também:

Refugiada nos EUA, virologista chinesa declara que “entregará a verdade sobre o vírus”

“Vírus foi fabricado e espalhado intencionalmente” afirma virologista chinesa em estudo

publicidade