Prefeito brasileiro que ‘salvou sua cidade’ do vírus chinês foi reeleito com 92% dos votos válidos

As eleições municipais de 2020 foram marcadas por pleitos históricos no Brasil, um deles ocorreu na cidade de Porto Feliz-SP

O atual prefeito que também é médico, Dr. Cássio Prado, foi reeleito no município com 92,1% dos votos válidos.

O prefeito é bastante reconhecido no município e na região pelo seu sucesso na administração da cidade durante a pandemia do coronavírus.

Dr. Cássio foi responsável pelo investimento de R$ 100 mil para a compra do chamado “kit-covid” a ser oferecido para o tratamento do vírus no estágio inicial.

Dentre os medicamentos contidos no pacote estão a hidroxicloroquina e azitromicina, defendidas pelo presidente Bolsonaro.

Tais medidas tomadas pela gestão do Dr. Cássio fez de Porto Feliz a cidade mais bem avaliada no enfrentamento da pandemia dentro da região de Sorocaba, composta por 27 municípios e mais de 2.2 milhões de habitantes.


‘Quantas mortes poderiam ter sido evitadas no país?’

Com pouco mais de 53 mil habitantes, a cidade de Porto Feliz está localizada a 90 km de São Paulo (capital).

Eleito em 2017, o médico Cássio Habice Prado explicou (através de uma live no youtube – graças à ética do jornalista Alexandre Garcia) como obteve sucesso no tratamento precoce (profilaxia) contra a Covid-19.

Antes de transcrever as palavras do prefeito Cássio, gostaríamos de ressaltar que TODA a grande mídia desdenhou (criticou, ofendeu, desqualificou, ocultou, ignorou) do protocolo de Porto Feliz, chegando a publicar matérias que desqualificavam o uso dos medicamentos citados abaixo.

Enquanto o dr. Cássio trabalhava cautelosamente, prefeitos de diversas cidades davam um show de histeria (e falta de profissionalismo) e nos passavam a imagem de que somente os tais ‘respiradores’ poderiam salvar vidas.

E o STF? Quem se lembra?

Na primeira quinzena de abril, a Corte máxima do país praticamente ignorou o Executivo e delegou a governadores e prefeitos o poder para determinar medidas durante a pandemia.

Bolsonaro, que sempre se declarou pró-hidroxicloroquina, foi literalmente massacrado.

A grande mídia, capitaneada por políticos de esquerda, publicava ‘toneladas’ de matérias nomeando todos os possíveis tratamentos como ‘fake’ … as principais redes sociais censuraram centenas de postagens pró-hidroxicloroquina com a alegação de que somente a OMS e o Ministério da Saúde (na época chefiado pelo ex-ministro Mandetta) tinha autoridade para publicar tais protocolos.

No dia 6 de abril, Mandetta, provavelmente em tom irônico, declarou que a IVERMECTINA era um medicamento usado para eliminar carrapato de gado.

“Ciência, ciência, ciência”, é o que respondia o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, quando questionado sobre possíveis tratamentos com medicamentos para a Covid-19.

Temos que seguir a ciência? É óbvio … porém, quando estamos em guerra, não há tempo suficiente para esperar meses (a até anos) para a conclusão de estudos.

Contra fatos, não há argumentos …

Abaixo as palavras do dr. Cássio Habice Prado, prefeito da cidade de Porto Feliz, SP:

“No início de fevereiro, nós reestruturamos nosso serviço de saúde … em março, nós reunimos os médicos da minha equipe e criamos um protocolo baseado no ‘Protocolo de Madrid’ , ‘Protocolo de Bérgamo’ e ‘Protocolo de Marseille’.”

“Em 28 de março, desde que tivemos o primeiro caso, nós temos feito o tratamento precoce de todos os pacientes com sintomas leves de Covid … esses sintomas leves são obtidos através de diagnóstico clínico (descrição de sinais e sintomas) e tomográfico (aqui todos fazem a tomografia) … já distribuímos cerca de 1500 kits”

(*** kit: hidroxicloroquina, azitromicina, enoxaparina, remédio para enjoo e anti-inflamatório *** custo aproximado: R$ 40,00)

“Criamos esse kit, que foi muito criticado no início, e todos tomaram esses medicamentos durante o final de março, abril e maio … desde então, nenhum desses 1500 pacientes evoluiu para tubo, para respirador, para UTI ou para óbito.” 

“Os óbitos que nós tivemos até hoje são de pacientes que não fizeram o tratamento precoce”

“Felizmente, todos que trataram precocemente não evoluem com gravidade … e mesmo que evoluam para a fase 2, o tratamento passa a ser mais fácil. ” 

“O que nós fizemos também foi tratar os contactantes (pessoas do convívio) com profilaxia … nós fornecemos medicamento para os contactantes que têm Covid em casa … todos eles tomam IVERMECTINA

“Pudemos notar que dos 4500 contactantes que passaram pela profilaxia, nenhum deles desenvolveu Covid”

“Também demos a IVERMECTINA para trabalhadores de alojamentos e nenhum deles desenvolveu Covid”

“Também escolhemos (aleatoriamente) uma quadra (quarteirão) da cidade e demos IVERMECTINA para todas as pessoas dessa quadra, aproximadamente 290 moradores … nas quadras ao redor, houve casos de Covid … na quadra que foi tratada com IVERMECTINA, não houve nenhum caso”

“Nossa experiência é de sucesso … o que nos preocupa é a procura tardia  … os pacientes deixam para nos procurar no D10, D15 (dias de sintomas) e já chegam na fase 2 ou 3, o que acaba demandando leitos de UTI”

“Temos alguns pacientes em estado grave porque eles nos procuraram (infelizmente) na fase tardia”

“Fizemos barreiras sanitárias, esterilizamos todos os espaços públicos e fomos a primeira cidade a exigir o uso de máscaras, já no final de março”

“Também fizemos a profilaxia de todas as equipes médicas e funcionários da saúde … que tomam IVERMECTINA ou HIDROXICLOROQUINA no esquema semelhante ao da Índia (2 comprimidos de 400mg em 1 dia e depois 1 comprimido por semana pelo período de 3 a 7 semanas )”

“Todos os contactantes dessas equipes médicas (e funcionários da saúde) também tomaram IVERMECTINA (na dose preconizada pela bula) como prevenção … nenhum deles desenvolveu Covid”

“Os únicos 2 médicos que se recusaram a tomar o medicamento, desenvolveram Covid”

“Aconselho a todos os profissionais de saúde (que têm contato direto com pacientes) a fazerem o uso das duas drogas (hidroxicloroquina, azitromicina) “

“Esses protocolos devem ser colocados rapidamente em todas as cidades para que a gente não entre em colapso. Essa reestruturação já deveria ter sido feita em março, abril … onde estavam os prefeitos? Em Plutão?”

“Infelizmente, esse tratamento foi politizado e a população das cidades foi colocada em risco …”


Conclusão

Diante de todas as informações postadas acima, você deve estar se perguntando:

“O que devo fazer?”

Dra. Carine Petry, que inclusive foi infectada pelo Covid, responde:

“Até pouco tempo atrás, a população foi orientada a procurar um hospital somente quando tivesse falta de ar”

“Estou aqui hoje pra dizer que isso não é verdade e tem que mudar urgentemente …”

“Tosse, febre e falta de ar são sintomas de uma doença (Covid) já avançada … temos que orientar a todos que a Covid tem sintomas precoces que aparecem na primeira semana de evolução da doença. (abaixo)”

Se você tem qualquer sintoma Tosse – Febre – Coriza – Dor de garganta – Dificuldade para respirar – Perda de olfato (anosmia) – Alteração do paladar (ageusia) – Distúrbios gastrintestinais (náuseas/vômitos/diarreia) – Cansaço (astenia) – Diminuição do apetite (hiporexia)  Dispnéia ( falta de ar), procure um médico e peça para ter acesso ao Protocolo de Porto Feliz … é um direito seu!

Pará: Mais um caso de sucesso no tratamento precoce contra o vírus chinês

 

 

 

publicidade


PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com