Professora gaúcha que desejou morte de idosos e crianças por Covid é demitida

23/10/2021

Em dezembro de 2020, ela ficou famosa na internet por afirmar que pessoas de direita deveriam morrer de Covid

(vídeo no final)

Professora na Escola Municipal Guerino Zugno, em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, Monique Emer se tornou alvo de críticas nas redes sociais após afirmar, entre outras coisas, que quanto mais pessoas “de direita” morrerem de Covid-19 “é melhor”.

Monique, que leciona para o ensino fundamental, é investigada desde 2018 por violência contra colegas professores e denúncias de bullying contra alunos.

As falas teriam sido motivadas pela revolta da professora após a derrota do candidato à prefeitura do município apoiado por ela, Pepe Vargas, do PT.

Em publicações nas redes sociais, Monique fala em “canalizar a revolta incendiária de estudantes” e sobre professores poderem “potencializar isso”.

A professora chegou a ser afastada das atividades por 90 dias, sendo alvo, neste período, da sindicância por sua conduta. No entanto, após o prazo máximo expirar, ela foi reintegrada às atividades. Desde março deste ano, ela exercia função administrativa dentro da Secretaria Municipal de Educação.


SERVIDORA JÁ HAVIA PEDIDO MORTE DE IDOSOS E DE CRIANÇAS DE DIREITA

Em uma postagem no Facebook no ano passado, Monique, revoltada com a derrota do candidato petista Pepe Vargas na disputa à Prefeitura de Caxias, falou em “canalizar a revolta incendiária de estudantes” e chamou os moradores da cidade de “gente burra, grosseira e tacanha”.

Em um áudio divulgado nas redes, Monique também dizia que “quanto mais” pessoas de direita morressem, melhor seria. A professora ainda declarava vontade de fuzilar simpatizantes da direita e pedia a morte de todas as pessoas que se manifestavam em favor do espectro político, incluindo idosos e crianças.

“Da direita, quanto mais morrerem de Covid-19, de tudo, Aids, câncer fulminante, pra mim, melhor é. Já que a gente não pode fuzilar, então que vão na praça fazer bandeiraço (sic) e, se Deus quiser, morram tudo de Covid. Adultos, mulheres, idosos e crianças, não vale um, não se salva um” afirmou ela, na ocasião.


Demissão

Monique foi demitida pela Prefeitura de Caxias do Sul.

Segundo a Procuradoria Geral do Município, ela ainda pode recorrer da decisão na via administrativa, com um pedido de reconsideração ou um recurso extraordinário ao superior hierárquico, no caso o prefeito de Caxias do Sul, Adiló Didomenico (PSDB).


O vídeo polêmico

 

0 0 votes
Article Rating

Deixe um comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments