Recado aos trapaceiros que querem controlar as redes sociais

Qualquer argumento contra as Redes Sociais é falso

(Rodrigo Miceli – escritor)

Ela não cria “bolhas incomunicáveis”; não há nenhum algoritmo manipulador que te faz querer isto ou aquilo.

VOCÊ segue uma tendência natural do ser-humano de se agrupar com aqueles que pensam parecido com você, que têm os mesmos interesses e objetivos.

É assim na vida real, fora das redes, e é por isso que criamos instituições, sociedades civis e ingressamos em clubes com regras e diretrizes próprias.

O que chamam pejorativamente de “bolhas incomunicáveis” são na verdade células mais ou menos autônomas, que por concentrarem pessoas com os mesmos interesses e objetivos agindo de forma mais ou menos ordenada, têm um poder maior de influência como grupos de pressão.

Em qualquer sociedade livre, esta livre associação de pessoas é vista com bons olhos, desde que respeitem, é claro, a Constituição que rege a todos igualmente e nos dá integridade enquanto nação.

Os que condenam estas livres associações são aqueles que presam por um poder centralizado, não distribuído entre pequenos grupos, mas concentrado num Estamento burocrático rígido que, por ser totalitário, não quer estar suscetível à pressão destes grupos.

É isto que está acontecendo no Brasil e no mundo.

Os que estavam no poder tinham tudo alinhado: os candidatos eram previamente selecionados pelos partidos, a mídia tinha a narrativa adequada aos interesses, e com as sociedades civis enfraquecidas e até mesmo as famílias esfaceladas, o cidadão comum não tinha meios de se organizar e pleitear suas reivindicações em grupo.

Estávamos todos fragmentados, espalhados, isolados como átomos soltos.

Com as Redes Sociais, assuntos proibidos nas academias e na grande mídia puderam ser retomados, pessoas distantes com os mesmos pensamentos puderam se aproximar, e súbito, a voz do povo se fez ouvir.

Quem estava no poder e caiu, ou quem ainda está lá e se vê ameaçado, quer que voltemos ao cenário anterior: mudos, desunidos, desordenados, sem meios de ação.

As rede sociais provocaram sim uma revolução política, mas para melhor: dando voz à maioria silenciosa até então oprimida por uma minoria que monopolizava todos os meios de comunicação; as Redes Sociais inauguraram a verdadeira democracia no século XXI.

É claro que o discurso deles é exatamente o oposto; o contrário da Realidade.

Para eles, o povo ter voz é “antidemocrático” ; influenciarmos o nosso próprio destino é uma “ameaça à democracia”.


 

publicidade