SARS-CoV-2 citado como arma biológica em 2016: “Causar o colapso do sistema médico do inimigo”

10/10/2021

Enquanto o mundo chora suas vítimas e luta contra a mortal pandemia de coronavírus, documentos divulgados pelos EUA revelaram que a China teria sugerido o uso do COVID como arma biológica.

Os comandantes do Exército de Libertação do Povo (PLA) previram que a 3ª Guerra Mundial seria travada com armas biológicas, revelou o Departamento de Estado dos Estados Unidos.

De acordo com as informações, cientistas militares chineses teriam discutido a transformação dos coronavírus SARS como armas cinco anos antes da pandemia de COVID-19 se originar e se espalhar por várias partes do mundo. Delineando suas idéias, os principais cientistas previram que esses coronavírus poderiam ser usados ​​para lutar uma futura guerra mundial.

O jornal The Australian relatou novos detalhes que (mais uma vez) levantam questões fundamentais sobre o papel da China na disseminação do vírus.

Descrevendo os coronavírus SARS como o prenúncio de uma “nova era de armas genéticas”,  cientistas chineses chegaram a afirmar (no passado) que os vírus poderiam ser “artificialmente manipulados em forma de doença humana emergente … transformados em armas e liberados de uma forma nunca vista antes”.

O documento militar intitulado A origem não natural do SARS e novas espécies de vírus sintéticos como armas biológicas genéticas revela os planos dos militares chineses em relação às armas biológicas. Além disso, o texto (escrito em chinês) afirma que um ataque com armas biológicas poderiam causar o “colapso do sistema médico do inimigo”.

“Seguindo os desenvolvimentos em outros campos científicos, houve grandes avanços no fornecimento de agentes biológicos. Por exemplo, a recém-descoberta capacidade de congelar e secar micro-organismos tornou possível armazenar agentes biológicos e aerossolizá-los durante ataques.”

Em maio deste ano, a dra. Li-Meng Yan, virologista chinesa conhecida por publicações e entrevistas alegando que o SARS-CoV-2 foi feito em um laboratório militar do governo comunista, publicou o seguinte tuíte:

” O documento de quebra mencionado para ‘prever a III Guerra Mundial como uma guerra biológica’ é um livro-texto sobre armas biológicas do PLA (escrito pelo General Dezhong Xi em 2015). Estou traduzindo para o inglês com nossos voluntários chineses! “

Nesses documentos, citados pela dra. Li-Meng Yan, há referências de um trabalho do coronel Michael J. Ainscough [Força Aérea dos Estados Unidos] que previu que a 3ª Guerra Mundial poderia ser travada com armas biológicas.

Algumas das principais autoridades de saúde pública da China foram listadas entre outros 18 autores.

Dez dos autores são cientistas e especialistas em armas afiliados à Air Force Medical University em Xi’an, informou o relatório do jornal The Australian.


Autenticidade dos documentos

Robert Potter, especialista forense digital, disse que os documentos foram verificados e declarou:

” Fomos capazes de verificar sua autenticidade como um documento de autoria de pesquisadores e cientistas específicos do PLA. Conseguimos localizar sua gênese [origem] na Internet chinesa. ”

Potter, que trabalhou com os governos dos Estados Unidos, Austrália e Canadá, também informou:

O The Australian também lembrou que o presidente Jair Bolsonaro levantou sérias questões sobre o manuseio do vírus:

“… Bolsonaro sugeriu que a China poderia ter desenvolvido o patógeno em um laboratório e disseminado como uma “guerra biológica” para ganho econômico … durante um, Bolsonaro levantou dúvidas sobre a origem do coronavírus e até questionou ‘não estamos diante de uma nova guerra?’ … os militares sabem tudo sobre guerra química, biológica e radiológica. Poderíamos estar lutando uma nova guerra? Eu me pergunto. O PIB de qual país cresceu mais?”

 

 

0 0 votes
Article Rating

Deixe um comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments