Servidora do PT chama policial de ‘macaco’ e partido diz que ofensa faz parte da cultura local

Servidora filiada ao PT de Curuça-BA chama policial de macaco.

O diretório municipal do Partido defendeu a ofensora alegando que a ofensa faz parte da ‘cultura local’, que não se trata de racismo e sim de uma cultura herdada de Lampião.

Não, não é brincadeira.

A defesa do policial militar da Bahia, agredido e chamado de “macaco” durante uma ocorrência no bairro Vale dos Lagos, em Salvador, prometeu que irá processar o presidente do Partido dos Trabalhadores (PT) de Curaçá e toda a diretoria da sigla envolvida na aprovação de uma nota de apoio a agressora, identificada como Libânia Maria das Torres.

Veja a nota:

NOTA DE APOIO

A presidência municipal do Partido dos Trabalhadores – PT de Curaçá vem, de público, manifestar seu apoio a companheira Libânia Torres, por saber da sua caminhada de LUTA e de respeito as pessoas. Em todos os sentidos.

Nós, do Partido dos Trabalhadores de Curaçá, reconhecemos a grandeza de suas lutas e, creditados as palavras, que foram ditas não a RACISMO, mas a cultura nordestina e Curaçaense, herdada de Lampião, de chamar policiais de Macaco.

Ao mesmo tempo, lamentamos o acontecido e reafirmamos o nosso respeito e solidariedade a ela e sua família.

Curaçá-BA, 19 de setembro de 2020.

Júlio Cézar Lopes
Presidente do PT de Curaçá-BA

 

 

publicidade